Foi criada, juntamente com diversas outras paróquias, por Decreto de Dom David de Sousa, bispo do Funchal, promulgado em 24 de Novembro de 1960.Iniciou a sua actividade a 1 de Janeiro de 1961, com sede provisória na Capela da Nazaré constituída por  cinco grandes zonas ou sítios, todos pertencentes à freguesia de São Martinho: a Nazaré, com o Bairro do mesmo nome e ainda: Pilar, Virtudes, Barreiros e Lido‑Casa Branca.

Tem uma densidade populacional muito elevada.

Nos anos de 2000‑2005, teve uma média anual de cem baptismos.

CAPELA DA NAZARÉ

Edificada no ano de 1627, serviu de sede paroquial à PARÓQUIA DA NAZARÉ desde Janeiro de 1961 até a Dedicação da igreja Paroquial (15‑12‑2002).

Foi seu primeiro pároco o Rev do Padre Manuel da Encarnação Gama, a quem sucederam os Revdos Padres Eduardo de Freitas Nascimento, João Francisco Dias e José Fiel de Sousa ( in solidum ), João Francisco Dias, José Anastácio de Gouveia Alves, Marcos Paulo de Abreu Pinto, Marcos Fernandes Gonçalves, tendo Pedro Filipe de Góis Nóbrega como Vigário Paroquial.

Neste momento é pároco, o Padre Pedro Filipe de Góis Nóbrega.

A imagem de Nossa Senhora de Nazaré, padroeira, foi levada em procissão em muitas Festas, incluindo as que se realizaram no segundo Domingo de Setembro dos anos 2000, 2001 a 2002.

Nesta Capela, tomou posse como pároco o Padre José Anastácio de Gouveia Alves, no Domingo,10 de Outubro de 1999.

A partir dessa data, deixou de ser ali celebrada a Eucaristia Dominical (que começou a ser celebrada no edifício da futura igreja paroquial, apesar de se encontrar ainda em tosco a bastante inacabado).

Entretanto continuou a funcionar na Capela da Nazaré o serviço de Cartório e a Eucaristia às quartas-feiras e a celebração dos Baptismos.

Em certas ocasiões, porém, era dado ainda outro uso à referida Capela: ali se fazia a benção dos Ramos no início da Semana Santa, além da celebração de batismos ( até à Dedicação da igreja ) e casamentos.

Atualmente a família dona da Capela doou a mesma à Paróquia da Nazaré, estando em processo de transição.

IGREJA PAROQUIAL 

A Igreja paroquial da Nazaré foi dedicada por Sua Excelência  Revma, o Senhor Bispo do Funchal, D. Teodoro de Faria, no dia 15 Dezembro 2002, 3° Domingo do Advento.

A sua construção estava inicialmente prevista para a zona das Virtudes, num terreno que foi para esse efeito adquirido na década de ‘60, pelo então Pároco, Manuel da Encarnação Gama.

Nessa época ainda não se previa a construção do Bairro.

Quando este foi projectado pelo Arquitecto José Rafael Botelho, foram também incluídos alguns equipamentos comunitários: escola, jardins de infância, centro de saúde, e a igreja.

Por essa razão, deixou de fazer sentido pensar em construir uma igreja no local previamente previsto: atendendo a que o Bairro teria uma grande dimensão, albergando milhares de pessoas, por que razão estaria a igreja numa zona com poucas dezenas de famílias, deslocada do maior centro populacional?

Assim, o terreno que fora adquirido pelo Padre Manuel Gama foi vendido, revertendo a verba conseguida em favor dos acabamentos da nova igreja, que o referido arquitecto Rafael Botelho entretanto esboçara para o local (naquele triângulo apertado entre o Beco da Fruta e a Avenida do Colégio Militar) onde efectivamente veio a ser construída.

O projecto inicial, com a respectiva maqueta, foi oferecido ao Engenheiro Gonçalo Araújo, num gesto de cortesia e amizade do Arquitecto Botelho. Era pároco de então o Padre Eduardo Freitas Nascimento.

Entretanto, a partir de finais da década de ‘70 o Bairro ia surgindo e as primeiras famílias começaram a ocupar os primeiros blocos de apartamentos…

Embora não se saiba ao certo o ano, foi certamente já na década de ’80 que começaram os alicerces da futura igreja, obra acompanhada pelos técnicos da Secretaria Regional do Equipamento Social.

O arquitecto José Rafael Botelho tinha regressado a Lisboa e deixado de acompanhar a construção da igreja.

A igreja foi avançando devagar e com muitas dificuldades: alguns avanços… e muitas paragens! Após anos em que esteve com os vãos abertos e totalmente acessível a todo o tipo de intrusos e vagabundagem, o Governo Regional decidiu avançar com o fechamento dos vãos em alumínio e a cobertura em telha.

Entretanto, em 1998, uma comissão de paroquianos juntamente com o Pároco, padre João Francisco Dias, enviou uma Carta ao Senhor Presidente do Governo Regional, dando conta das suas preocupações pelo estado das obras, que não avançam.

Por altura da tomada de posse do novo Pároco, padre José Anastácio Alves, em 10 de Outubro de 1999, a situação era esta: a igreja encontrava-se fechada, com a estrutura em tosco e a cobertura da telha colocada.

As chaves estavam na posse da Secretaria Regional do Equipamento Social.

Na semana de 10 a 16 de Outubro de 1999, foi solicitado aos Bombeiros Municipais do Funchal o favor de darem uma «lavagem geral» ao espaço da igreja, para que aí fosse possível celebrar a Eucaristia no Sábado, dia 16 (havia de tudo um pouco, a sujar o espaço da igreja, como se imagina!).

Para a primeira Missa, praticamente não existiam cadeiras nem bancos (apenas algumas cadeiras usadas que diversas pessoas ofereceram, com alguns tapetes… e muito, muito pó!) ‑ e não havia electricidade, nos primeiros dias em que se celebrou na «igreja» da Nazaré! 

Apesar das condições em que nos encontrávamos (e continuamos a suportar durante mais três anos), o entusiasmo foi grande, a participação de fiéis foi elevada… e nem o pó, nem a chuva, nem o vento (que tantas vezes entrava pelo vão aberto por detrás do altar) impediram que a partir dessa data, a Missa Dominical fosse celebrada sempre na «nova igreja».

Retirado Do Blog 

Um Local de paragem Obrigatória.



Acessibilidade

 ♿ 🟢 Acessibilidade:  Fácil


« Voltar


error: Content is protected !!
Skip to content